Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6

---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?

Arraste widgets para dentro do bloco. excluir bloco

  • Governador Celso Ramos: Aspecto Histórico

    GOVERNADOR CELSO RAMOS: nota histórica

    Emancipado aos 6 de novembro de 1963, com o nome Ganchos, antigo porto pesqueiro citado por Arcipreste Paiva em 1868, e que consta pela vez primeira em 1776, em mapa português, como “Ganxos”, a atual Governador Celso Ramos foi ocupada por grupos caçadores-coletores há cinco mil anos. Entre os anos 750 e 1.300 d.C., a região foi tomada pelos indígenas Itararé (Jê), sucedidos pelos Guarani que viviam em duas importantes aldeias: Reritiba e Piracoara.

    Com a criação da Capitania de Santa Catarina (1738), um povoamento vicentista proveniente de São Vicente, Cananéia e São Francisco do Sul, indígenas e africanos erigem capela consagrada a Nossa Senhora da Piedade (1738-1745) no maior empreendimento fabril do Sul brasileiro (1738 a 1778), a Armação Grande das Baleias, doravante Armação da Piedade, diante da Fortaleza de Santa Cruz do Anhatomirim (1738) - tombada pelo patrimônio nacional (1938).

    Com a chegada de colonos portugueses, açorianos e madeirenses (1748 a 1756) é fundada a Freguesia de São Miguel da Terra Firme (1752), nas imediações da Armação da Piedade, que passa a receber colonos portugueses continentais da Ericeira (1820) e germânicos e belgas (1847). Quando da criação do Distrito de Paz (1861), Ganchos contava com 698 habitantes.

    A bibliografia local dá conta que o nome Ganchos está relacionado ao formato das meias-luas que recortam a península, mas a denominação pode estar relacionada aos navegadores catalães das primeiras expedições no século XVI, derivando assim dos dois grandes ganchos que formam a Baía de Tijucas. A Baía de São Sebastião dos Tijucais ou de Tijucas, é denominada de Baía dos Dois Ganchos pelo mineralista inglês John Mawe (1806), reafirmado em mapa português (1808). O gentílico de quem nasce ou mora na cidade é gancheiro. O “gancheiro” era a alcunha arpoador de baleias, que maneja a fateixa/gancho.

    Com a economia ainda alicerçada na Pesca, a cidade também se abre ao Turismo. O Município possui duas unidades de conservação, a Área de Proteção Ambiental do Anhatomirim, e a Reserva Marinha Biológica do Arvoredo.

    (*) William Wollinger Brenuvida. Jornalista e escritor. Membro do IHGSC e do INGESC. Diretor da Casa dos Açores de Santa Catarina, é doutorando em Ciência da Linguagem.

Arraste widgets para dentro do bloco. excluir bloco

  • Informações Municipais

    • Prefeito(a): Marcos Henrique da Silva
    • Vice Prefeito(a): Aldir Dourival Rosa
    • Microrregião: Microrregião da Grande Florianópolis
    • Aniversário: 06/11
    • Habitantes: 14606 (IBGE/2019)
    • Eleitores: 13553 (TSE/2019)
    • PIB: R$ 316.537.000,00 (IBGE/2018)
  • Símbolos Municipais

    Bandeira

    Brasão